O Ciclo de Escassez de Recursos das ONGs

Neste artigo:
    Add a header to begin generating the table of contents
    Scroll to Top
    ciclo de escasses de recursos das ongs

    O ciclo de escassez de recursos das ONGs é um fenômeno que vem assolando o universo do terceiro setor há décadas. 

    O ciclo começa quando os financiadores têm expectativas irrealistas sobre quanto custa administrar uma organização sem fins lucrativos. 

    Essas expectativas são então transferidas para as ONGs, que se sentem pressionadas a se conformar e gastar menos com despesas operacionais. 

    O subfinanciamento de gastos perpetua as expectativas irrealistas dos financiadores, que veem as organizações as quais apoiam fazendo mais com menos e concedendo-lhes subsídios menores em troca. 

    À medida que esse ciclo continua, a distância entre o que os doadores esperam das organizações sem fins lucrativos e o que essas organizações realmente precisam torna-se cada vez maior…

    Quais são as consequências desse ciclo?

    É importante que os financiadores reconheçam as consequências desse ciclo e ajustem suas expectativas.

    Em vez de nivelar o campo de atuação cortando custos operacionais, os financiadores devem se ajustar a um sistema mais sustentável, entendendo que todas as organizações sem fins lucrativos são diferentes e têm necessidades diferentes.

    Precisamos parar de perguntar: "Quanto custa?", mas precisamos perguntar: "De que sua organização precisa?"

    Como quebrar esse ciclo?

    Os custos operacionais devem ser abraçados pelos financiadores, não devem ser criticados. Eles são necessários para que as ONGs façam o que precisam fazer: cumprir sua missão, mantendo-se financeiramente sustentáveis e seguras a longo prazo.

    Em outras palavras, os custos operacionais devem ser vistos como um investimento que visa tanto à sustentabilidade a curto prazo quanto ao crescimento futuro.

    Tais custos são necessários para que as organizações sem fins lucrativos operem como necessitam e não devem ser vistas como uma coisa negativa. Sem isso, a organização seria financeiramente insustentável a longo prazo.

    O sucesso das organizações da sociedade civil depende de fatores externos, tais como financiamento, pessoas e outros recursos. Elas precisam utilizar práticas sustentáveis a fim de ter continuamente o recurso de que necessitam para executar seu programa.

    Cada uma delas precisa descobrir o que de fato a sustentabilidade significa para si e a relação com suas missões e objetivos. Então poderão tentar coisas diferentes até conseguir o que é certo para elas.

    É possível também quebrar esse ciclo buscando modelos inovadores de captação de recursos e de pessoal. Esses modelos frequentemente exigem maior investimento de tempo, energia e recursos para se estabelecer ou manter; ao mesmo tempo que são mais sustentáveis a longo prazo do que continuar dependendo das doações das fundações.

    Por que isso é importante tanto para as ONGs quanto para os doadores?

    As consequências deste ciclo são importantes tanto para os doadores quanto para as organizações da sociedade civil.

    É fundamental que os doadores entendam que há consequências quando existem expectativas irrealistas sobre quanto custa administrar uma organização sem fins lucrativos. Se os doadores entenderem essas consequências, eles poderão ajustar suas expectativas de acordo.

    Também é importante que as próprias ONGs entendam que há consequências quando se sentem pressionadas a se adequar às expectativas irrealistas estabelecidas por seus financiadores.

    Elas precisam reconhecer este ciclo, ajustar suas expectativas e investir em custos operacionais para que possam continuar operando como necessitam e não devem ser vistas como algo negativo.

    Tanto para os doadores quanto para as ONGs, é importante que entendam as consequências para que possam ajustar suas expectativas.

    As organizações sem fins lucrativos precisam de tempo e dinheiro alocado para custos operacionais, tais como aluguel de espaço administrativo, equipamentos tecnológicos/de escritório, impressão de materiais promocionais, softwares, treinamentos (apenas alguns exemplos).

    É por isso que a consciência desse ciclo precisa ser comunicada abertamente tanto entre as próprias ONGs quanto com os doadores, que, em última instância, financiam as organizações. Uma vez estabelecidas expectativas realistas para todas as partes envolvidas, haverá menos ansiedade em torno de como os fundos são alocados.

    A longo prazo, isso ajudará as organizações da sociedade civil a criar práticas sustentáveis em torno dos custos operacionais e também lhes dará mais tempo para buscar modelos inovadores de captação de recursos e de pessoal, em vez de depender de subsídios das fundações.

    O que você pode fazer para ajudar a quebrar o ciclo em sua comunidade?

    Alocar tempo para reavaliar seu orçamento

    Uma maneira de quebrar o ciclo, e sabemos que não é fácil, é tentar rever seu orçamento mais profundamente. Isto pode lhe dar a oportunidade de entender melhor como as despesas são feitas.

    Traga a diretoria, o conselho fiscal e os líderes dos programas para discutirem como vocês poderão alocar melhor seus financiamentos.

    Ao fazer isso, certifique-se de repartir os custos operacionais por departamento e programa (ou seja, X reais alocados para tecnologia, Y reais alocados para marketing). Entender como cada departamento está funcionando por conta própria ajudará você a compreender de modo mais realista o que é necessário para administrar sua ONG.

    Desta forma, você pode alocar melhor os fundos e garantir que sua organização seja sustentável a longo prazo!

    Desenvolva e implemente sistemas para rastrear despesas e receitas

    Há três principais tipos de sistemas utilizados pelas organizações sem fins lucrativos: sistema de gestão financeira, gerenciamento de projetos e sistema administrativo.

    Dependendo do momento no qual sua ONG se encontra, um sistema pode ser mais apropriado do que outro.

    Os sistemas de gestão financeira ajudam a rastrear despesas e receitas a fim de manter uma visão clara de quanto dinheiro é necessário para as operações, bem como quais fundos foram adquiridos de diferentes fontes.

    Crie orçamentos e projeções tanto a curto como a longo prazo a fim de entender quanto dinheiro é necessário para executar seu programa.

    Os sistemas de gerenciamento de projetos ajudam a acompanhar o progresso das tarefas dentro de uma equipe ou organização, incluindo prazos, atribuição de responsabilidade e quaisquer outras notas importantes que serão benéficas para completar as tarefas dentro do prazo.

    Nesse sistema, seria essencial estabelecer prazos ao lado de cada tarefa e acompanhá-los a fim de manter um senso de transparência.

    Os sistemas administrativos estão mais focados no acompanhamento do tempo de trabalho, bem como dos diferentes equipamentos que eles possam utilizar durante a conclusão das tarefas.

    Neste sistema é importante rastrear o tempo alocado para tarefas específicas, a tecnologia usada (por exemplo, um laptop ou um smartphone) e outros recursos necessários  para manter uma visão geral precisa de quanto tempo é gasto em cada tarefa.

    Ao implementar sistemas em sua organização, como os três acima mencionados, você será capaz de manter uma maior eficiência ao trabalhar com recursos limitados e permitir a si mesmo a oportunidade de se concentrar mais no que é mais importante:

    A missão de sua organização!

    Dividir tarefas em esforços menores realizáveis e estabelecer prazos

    Se uma entidade sem fins lucrativos não está atendendo às expectativas irrealistas estabelecidas por seus financiadores, uma maneira de quebrar esse ciclo é dividir pequenas tarefas em partes realizáveis e estabelecer prazos para cada uma delas.

    Se uma tarefa parecer muito grande ou exigente, pode ser melhor quebrá-la em partes menores e mais manejáveis.

    Isso também ajudará você a manter-se no caminho certo com os prazos maiores que você estabeleceu para si mesmo, assim como prazos estabelecidos por outros.

    Envolva-se na construção de relacionamentos com aliados, voluntários e colaboradores

    Os profissionais das OSCs precisam se envolver na construção de relacionamentos no seu meio. Significa que esses indivíduos devem estar disponíveis para colaboração em vez de operar independentemente em projetos separados.

    Os relacionamentos são a base do sucesso dos movimentos sociais. Você precisa encontrar maneiras de construir relacionamentos com aliados, voluntários e colaboradores com o propósito de cumprir sua missão. Por exemplo:

    É importante lembrar que essas relações são simbióticas — tanto o doador quanto a ONG se beneficiam dessas parcerias —, por isso é importante ser cortês no trabalho em conjunto.

    As organizações sem fins lucrativos quase sempre trabalham com orçamentos apertados, especialmente as pequenas que estão apenas começando. Para que seus esforços causem impacto, você pode precisar ser paciente e ao mesmo tempo se certificar de ter um plano B e outro C.

    Conclusão

    Grande parte das ONGs encontra-se no meio de um ciclo de escassez de recursos. Elas não estão gastando o suficiente para serem competitivas com outras organizações e não têm financiamento suficiente.

    Esse subfinanciamento perpetua expectativas irrealistas dos financiadores, que concedem subsídios cada vez menores. Em vez de estimular o corte de custos, os financiadores devem entender que todas as ONGs são diferentes e têm necessidades diferentes. Elas normalmente trabalham subfinanciadas e com excesso de trabalho.

    Os recursos não sobram para melhorar a entrega de custos operacionais como aluguel de um espaço maior, folha de pagamento e infraestrutura. No entanto, isso não significa que deveriam continuar se submetendo a conduzirem suas atividades dessa forma.

    Os financiadores deveriam ajustar suas expectativas em relação à importância dos custos operacionais para que as organizações sem fins lucrativos possam se concentrar no que mais importa — impactar suas comunidades.

    Ao entender como organizações diferentes operam de forma diferente, em vez de esperar soluções de tamanho único para todos, podemos criar um sistema mais sustentável onde todos ganham.

    Se trabalharmos juntos, podemos quebrar esse ciclo vicioso!